Uma grata surpresa caiu nas minhas mãos esse início de ano: o livro “O sal da terra – fotografias da Região dos Lagos de 1930/ 1970” de Wolney Teixeira, organizado por Mauro Trindade. Ganhar presentes de pessoas inesperadas é sempre uma grata surpresa, ainda mais sendo um livro de fotografia. O cúmulo da alegria foi constatar que esse livro fala da região onde passei a infância: as salinas da Região dos Lagos.

 

 

Com avô e tio ligados à produção de sal, cresci correndo nas colinas brancas e brincando com meus primos nos pátios da refinaria. Mas a produção de sal na Região dos Lagos lida com muito mais do que as minhas memórias gostosas de criança, lida com a história e o desenvolvimento de uma importante região, documentada por poucos.

 

Wolney Teixeira de Souza foi o primeiro e, durante muito tempo, o único fotógrafo de Cabo Frio e de grande parte do seu entorno. – João Henrique de Oliveira

 

Wolney Teixeira nasceu em 1912 no Rio, com dez anos se mudou para Cabo Frio e lá ficou. Filho de fotógrafo, começou a carreira usando o equipamento antigo do pai para sobreviver. Fez de tudo, entre encomendas fotográficas dos salineiros a retratos 3×4 para documentos oficiais. Ao longo de sua carreira fotografou as belezas geográficas da região – Arraial do Cabo, Búzios, Macaé – fez retratos lindíssimos da população, registrou eventos políticos e sociais – comícios, shows, festas, casamentos – da cidade de Cabo Frio, e muito de seu desenvolvimento urbano e de suas paisagens de sal. O fotógrafo deixou mais de 10 mil negativos.

 

Graças à preservação de seus negativos, e do projeto de livro e exposição em 2011, hoje temos acesso à uma memória coletiva importante. E eu, as minhas alegres memórias pessoais.

 

    

One thought on “Recordar é viver

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *