Mais uma vez, o IMS do Rio de Janeiro apresenta uma linda exposição fotográfica que conta um pouco a história da fotografia brasileira. Depois de adquirir cerca de 16 mil negativos do paulistano Otto Stupakoff em 2008 para o seu acervo, o IMS escolheu 300 imagens, feitas entre 1955 e 2005, para uma retrospectiva do fotógrafo. Com curadoria de Bob Wolfenson e Sergio Burgi, podemos observar toda a trajetória desse artista, seus trabalhos em estúdio, suas capas de disco, seus primeiros incursos no mercado de NY, suas fotos publicitárias e de moda, os retratos de celebridades – como Jack Nicholson, Tom Jobim, Truman Capote – suas imagens familiares e de viagens pessoais e seus ensaios de nu.

 

Sophia Loren e Otto Stupakoff

 

Tom Jobim por Otto Stupakoff

 

São imagens que contam a história de um homem, seu olhar, seus desafios e suas conquistas e que também permeiam a história da fotografia brasileira. Como a fotografia de Duda Cavalcanti feita em 1958 na casa do sambista Heitor dos Prazeres, com uma roupa do estilista Dener Pamplona: a primeira fotografia de moda brasileira.

 

Jamais havia visto uma foto de moda publicada no Brasil, antes de eu fazer a primeira. É incrível, porque já éramos uns 100 milhões de habitantes. Pedi ao Dener um vestido emprestado. Coloquei na mala, peguei um ônibus para o Rio de Janeiro, combinei com minha namorada, Duda Cavalcanti, e (…) foi feita a primeira foto de moda no Brasil. Essa foto, que fiz para mim, nunca foi publicada. – Otto Stupakoff

 

        

 

Otto viveu muito tempo em NY e na Europa entre os anos 60 e 70, e com isso teve a oportunidade de viver os grandes anos da fotografia e conviver ao lado de fotógrafos como Richard Avedon, Diane Arbus e Irving Penn. Fotografou grandes modelos como Sophia Loren, e desfrutou da companhia de Carmem Miranda, Edward Weston, entre tantos outros. Suas fotografias podem ser vistas no acervo do MOMA e suas histórias contadas por muitos. Otto tinha precisão em suas composições, sabia o que queria sempre. Suas modelos são muito bem direcionadas em cenas de pura teatralidade onde temos uma harmonia de movimento, enquadramento, gestos, sensualidade e entorno. Para mais vislumbres, não percam a exposição Otto Stupakoff: beleza e inquietude, em cartaz no IMS até dia 16 de abril de 2017.

 

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *